<< voltar

Número: 120
Data: 12/02/2020
Título: GERUNDISMO E GERÚNDIO

Juro que não tinha escutado o tal gerundismo até a véspera do feriado de 1º de maio [2002], motivo pelo qual eu ainda não havia tratado do assunto nesta página. Só ouvindo para crer.


Toca o telefone: era um rapaz muito simpático, da Embratel, a fazer novo cadastramento do proprietário daquela linha telefônica. Tentei me escapar dizendo que estava no nome do meu marido, mas fui “fisgada” quando ele se saiu com esta:


– A senhora pode estar respondendo a duas ou três perguntas? Eu vou estar confirmando os dados... blablablá... Nossa empresa vai estar lhe informando blablablá... A senhora vai estar pagando diretamente em conta corrente...

– Espera aí, moço. Será que não dava para fazer algumas alterações nesse texto que você acaba de ler?

– Como assim?? [surpreso e assustado]

– É o seguinte [me identifiquei melhor e...]: em vez de usar o verbo estar com o gerúndio, por exemplo “estar respondendo”, você vai direto para o verbo principal: “responder”.

– Ah, eu uso o presente...

– Não é bem o presente, é o infinitivo. Assim: em vez de dizer “pode estar respondendo”, você diz pode responder; “vou estar confirmando” fica vou confirmar; “vai estar lhe informando” – vai lhe informar; “vai estar pagando” – vai pagar, e assim por diante.

– Está bem. Então posso estar continuando... ops!... pos-so con-ti-nu-ar [enfático] a mensagem?

– Vamos lá.

– A senhora vai... [pausa] re-ce-ber em seu domicílio...

Só não perguntei ao rapaz qual seu nome. Foi pena – eu poderia sugerir à empresa um melhor aproveitamento do funcionário, por sua disposição em aprender tão rapidamente a lição. Quanto a mim, cairia bem um descontinho nas ligações, pela aula à distância... via Embratel.


Isso não quer dizer que o gerúndio seja abominável.  Pelo contrário: ele pode e deve ser usado para expressar uma ação em curso ou uma ação simultânea a outra, ou para exprimir a ideia de progressão indefinida. Combinado com os auxiliares estar, andar, ir, vir, o gerúndio marca uma ação durativa, com aspectos diferenciados:


          1) com estar, o momento é rigoroso:
               Está havendo, hoje em dia, um certo abuso... 
               Os preços estão subindo todos os dias.
               O país está entrando numa crise sem precedentes.
 

          2) com andar, predomina a ideia de intensidade ou movimento reiterado: 
               Andei buscando uma saída para a crise. 
               Andaram falando mal de ti.


          3) com ir, a ação durativa se realiza progressivamente:
               O tempo foi passando e nada de solução.
               Aos poucos ela vai ganhando a confiança do patrão.


          4) com vir, a ação se desenvolve gradualmente em direção à época ou ao lugar em que nos encontramos:
               O livro não registra como tal expressão vem sendo usada pelos brasileiros.
               A noite vai chegando de mansinho.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - [email protected]