<< voltar

Número: 117
Data: 19/02/2014
Título: (O) QUE FAREI? O CLIENTE SOMOS NÓS

--- Por favor, explique-me como é o certo: O que farei de minha vida ou Que farei de minha vida? Maria Helena Cunha, Fortaleza/CE


As duas formas são usadas no Brasil. Em princípio, basta o que para introduzir esse tipo de oração interrogativa, pois o o nesse caso não tem nenhuma função sintática:


Que farei de minha vida?

Que queres?

Que devemos fazer?


Já quando se inverte a ordem da pergunta, o interrogativo se faz acompanhar sempre do artigo o por uma questão de eufonia:


Queres o quê?

Farei o que agora?

Vamos dizer o que ao diretor?


Foi assim que se tornou usual (e igualmente correto) o emprego de o que também no início da oração, objetivando dar maior ênfase à pergunta:


O que farei de minha vida?

O que queres?

O que devemos fazer com o lixo?


Tanto uma quanto outra forma pode ser reforçada por é que, de uso mais coloquial:


O que é que farei da minha vida?

Que é que queres?


A propósito, Eliana Abdallah, de São Paulo/SP, pergunta: “Na frase O quê que eu fiz? o que tem acento mesmo? Eu não poria. Porém, tenho visto algumas pessoas grafarem desta forma”.


A impropriedade da frase, além do acento errado, é a falta do é que faz parte da expressão de reforço é que:  O que é que eu fiz?


Para o que ser acentuado no meio da frase só se for substantivado, quando fica tônico; por exemplo: “Ela tem um quê da avó materna”.


Deve-se acentuar o que quando ele termina a frase:


Queres o quê?

Queria pagar mas não tinha com quê.

Obrigado! – Não há de quê.


Mais sobre o assunto na coluna Não Tropece na Língua 237.


--- Gostaria de saber qual é a frase correta: O cliente somos nós ou O cliente é nós? Sérgio Ricardo de Paiva Costa, São Paulo/SP


Se você inverter a ordem, dirá: Nós somos o cliente. O sujeito é o pronome nós, portanto. A regra então é: nas frases com o verbo ser que tenham um pronome pessoal, a concordância verbal se faz com o pronome:


O cliente somos nós.

O fiador és tu, mas a responsável foi ela, sem dúvida.

Os melhores são eles.

Hoje quem paga sou eu.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - linguabrasil@linguabrasil.com.br