<< voltar

Número: 101
Data: 02/10/2019
Título: A MAIORIA QUER APRENDER

--- Qual a forma correta: a maioria das pessoas faltou / faltaram à festa? Mary Leila Maciel de Oliveira Kruki, Campo Grande/MS]


As duas formas são consideradas corretas, mas a primeira é a mais recomendável: “A maioria das pessoas faltou à festa”. Neste caso, o verbo concorda com o núcleo do sujeito [maioria], que está no singular.


Entretanto, quando esse sujeito, que tem o núcleo no singular, é seguido por uma expressão de quantidade (coletivo partitivo) no plural, pode ocorrer dupla concordância:


1) CONCORDÂNCIA GRAMATICAL - o verbo fica no singular em conformidade com o núcleo do sujeito:


Na região, a maioria das crianças morre de inanição.

A minoria dos deputados esteve presente à sessão.

O jornal lamenta que a totalidade deles seja favorável à proposta.


2) CONCORDÂNCIA IDEOLÓGICA - o verbo vai para o plural em razão da ideia de pluralidade que a expressão toda transmite:


O grosso dos mantimentos perecem nos armazéns. 

Em meio a grande confusão, os presos e seus reféns dirigiram-se ao auditório, enquanto a maioria deles corriam para as celas.

A metade dos melões foram desperdiçados por falta de embalagem adequada.
 

É importante observar que a concordância ideológica só é aceita quando há um complemento plural expresso. Não o havendo, é obrigatória a concordância com o núcleo, verbo no singular:


A maioria faltou à festa.

Parece que parte foi sacrificada, parte não.

Uma parte estava eufórica.

Disse que a totalidade ficaria do seu lado.

A minoria se regenerou.


Para completar o registro das expressões de quantidade ou coletivo partitivo, seguem mais alguns enunciados em que o verbo estará sempre no singular, visto ser esta a forma de concordância verbal mais apreciada:


Boa parte das laranjas foi exportada.

A maior parte delas não recebeu agrotóxicos.

Grande parte dos alunos quer aprender.

(Certa) parte das crianças tem pais separados.

Pouco menos da metade dos meninos tem babá em casa.

Um pequeno número deles tem problemas locomotores.

Uma porção de títulos foi negociada.

Grande número de turistas preferiu Santa Catarina este ano.

O restante dos produtos seguiu para o Nordeste.

Quando a greve das universidades federais começou, quase metade delas ainda estava ajustando sua programação para 2002.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - linguabrasil@linguabrasil.com.br