<< voltar

Número: 050
Data: 10/10/2018
Título: MAU, MAL E MAIS BEM COLOCADO

MAU, o contrário de bom, é adjetivo – portanto sempre modifica um substantivo – e tem o feminino má  (plural: maus e más):


Fez um mau negócio, num mau momento.

Os homens maus e as mulheres más sempre se dão mal.

O lobo mau enfrentou um homem bom.


MAL tem por antônimo a palavra bem e pode ser:


(1) advérbio de modo; neste caso fica invariável e no mais das vezes acompanha um verbo ou um adjetivo:


Quando ele se comporta mal, nada vai bem.

Isso pegou mal.

Ela joga muito mal.

Ele é mal-humorado.

Estamos mal servidos.


(2) substantivo:


O pequeno mal que o remédio provoca é compensado pelo bem que lhe traz.

Ele não imagina o mal que fez.


(3) conjunção:


Mal chegou de viagem, já deseja partir.


O comparativo de superioridade de mau e mal é pior, o que equivale a "mais mau/mal":


Ele fez o pior negócio da sua vida.

Esse rapaz joga pior do que os demais.


O comparativo de superioridade de (mais) bom e (mais) bem é melhor:


Margô é uma atleta melhor do que suas colegas.

Ela fala inglês melhor do que seus irmãos.

O brasileiro se saiu melhor do que os americanos.

Os gêmeos Pat e Nick são os melhores alunos da turma.


No entanto, diz a regra que quando vêm antes do particípio, os advérbios mal e bem não se contraem com o "mais" que os precede, como por exemplo "mais bem aceito; mais mal ajeitado; o trabalho mais bem feito; as ruas mais bem calçadas".


MAIS BEM (OU MELHOR) COLOCADO


João Ricardo Pupo, Augusto Pouchain Júnior e Zeca dirigiram-se ao Mural de Consultas para questionar o uso de mais bem colocado, mais bem aceito, mais bem feito no lugar de melhor colocado, melhor aceito etc.


Como vimos acima, a forma clássica, original, é justamente a não contraída: o time mais bem colocado, as questões mais bem aceitas, a frase mais bem elaborada, os políticos mais bem instruídos. No entanto, pelo fato de mais bem ser sintetizado para melhor, a expressão se transformou com o tempo, e hoje se admite o uso de "melhor" em construções como estas:


O time que for melhor colocado terá privilégios.

Parece que agora os papéis estão melhor distribuídos em termos sociais.


De qualquer forma, use o ouvido e o bom senso para fazer a melhor escolha. No caso do advérbio com sentido negativo, contudo, sempre use menos bem, e não pior:


Entram em primeiro lugar os alunos pequenos, depois os grandes; em frente ficam os menores de confiança; mais em vista do professor, os menos bem comportados.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - linguabrasil@linguabrasil.com.br