<< voltar

Número: 037
Data: 08/08/2012
Título: O USO DE POR QUE EM PERGUNTAS E AFIRMAÇÕES

De São Paulo, o leitor W. Santos sugere o tema por que e porque. E sei por quê. É que há toda uma geração de brasileiros que aprendeu o seguinte: por que separado se usa em perguntas; porque junto se usa na resposta. É verdade, mas não é a verdade toda. O correto é acrescentar que por que separado também se usa em respostas e afirmações. Vejamos esses casos esquematicamente.


1. POR QUE


Expressão formada pela sequência de preposição + pronome interrogativo ou relativo. Utilizada em perguntas diretas e indiretas; em frases afirmativas/negativas e exclamativas; em títulos de obras/artigos. Equivale a por qual razão / por qual motivo. Exemplos:


Por que está tão difícil a captação de recursos?

Vocês entenderam agora por que é importante ler bons textos?

Sabes por que ela não veio? Sinceramente, não sei por que ela não veio.

Por que entrar no orkut, eis a questão.

Sempre me pergunto por que a inflação está voltando a esse patamar.

Teve de explicar aos superiores por que acontecera outro acidente.

Ninguém entende por que você o abandonou.

POR QUE PARAR DE FUMAR  [título de artigo]

Por que formar uma miniempresa – anote dez razões [título de livro]

Vamos verificar por que as vendas estão caindo nesse setor.


Observe que a palavra razão/motivo pode estar apenas subentendida ou aparecer claramente na frase:


Se pago, quero saber por que (motivo) pago.

O cliente teve de explicar por que (razão) atrasou o pagamento.

Houve um engarrafamento, daí por que nos atrasamos.
[ = daí o motivo pelo qual ]

Eis os motivos por que eles parecem tão felizes.

Não consigo entender por que razão foram descontados os dias de greve.


2. POR QUÊ?!.   &  QUÊ?!.


O monossílabo átono que passa a ser tônico em final de frase. Acentue-o, portanto, antes do ponto (final, de interrogação ou de exclamação):


Obrigado. – Não há de quê.

O prefeito convocou uma reunião mas ninguém compareceu, só Deus sabe por quê.

Quem foi à festa adorou. Você não quer descobrir por quê?

Correr tanto pra quê?!

Ela é especial, sabes por quê?

Qual o quê! Isso é pura intriga.


3. PORQUE


Conjunção explicativa ou causal, substituível por pois, uma vez que, já que, porquanto, ou pelo fato de que, como (caso dos dois últimos exemplos a seguir):


Não foi ao treino porque não se sentia bem.

Ele se sente meio confuso porque não leu a matéria com concentração.

Por que foram a juízo? Porque estavam cheios de razão.

Abandonou o curso de pós-graduação porque, tendo de dar aulas à noite e trabalhar de manhã, sentiu-se no limite.

Ela, sim, soube a razão do confisco, porque além do cargo tinha outros poderes.

Porque o fumo é plantado em lombas, as mudas nem sempre podem ser replantadas em terreno contínuo.

Porque a onça caça à noite é difícil registrar seus hábitos.


4. PORQUÊ


Acentuado, numa palavra só e antecedido de artigo, agora é substantivo masculino, pluralizável, equivalente aos substantivos motivo, causa, razão, indagação:


Não entendo o porquê da rejeição.

O Congresso precisaria analisar o porquê de tantos desmandos.

É difícil achar respostas para todos os nossos porquês.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - linguabrasil@linguabrasil.com.br