<< voltar

Número: 004
Data: 21/12/2011
Título: CRASE COM HORAS + ATÉ À

Na grande maioria dos casos coloca-se o acento indicativo de crase diante das horas, isto é, escreve-se às na indicação de determinado horário:


Os bancos abrem às 10 horas.

Às 21h30 começará a ser servido o jantar.

O enlace matrimonial se realizará às dezoito horas do dia vinte de maio.

Precisamente às 20h43min teve início o espetáculo.


À UMA HORA

Sabe-se que não existe crase diante de artigo indefinido, como em:


Falou a uma multidão.

Entreguei o papel a uma das secretárias. 

A revisão do passado não é tarefa restrita a uma nação arrependida.


No caso de uma hora, todavia, o à precedente configura uma crase porque aí se trata não do artigo indefinido mas do numeral “uma”, que acompanha e determina a primeira hora, como o fazem os numerais até 24 [as duas horas, as três horas etc.]. Portanto:


O eclipse da Lua poderá ser apreciado melhor à uma hora da madrugada.
 

PARA AS 12 HORAS

Sendo a crase a fusão da preposição A com o artigo A, não se poderá acentuar o AS das horas quando se empregar outra preposição (que não seja A). São quatro as possibilidades: para, desde, após, entre. Com elas é proibido usar o AS craseado, para que não haja uma superposição de preposições. Exemplos:


A conferência foi marcada para as 10 horas da noite.

Desde as duas estou te esperando!

Não atendemos após as 18 h de sábado.

A Celesc avisa que faltará luz na Serrinha entre as 20 h e as 22 h.


Reafirmando: este as não leva crase porque é puro artigo. Nesse último exemplo pode-se verificar mais claramente tratar-se de artigo ao se trocar “as 20 h” por um horário do gênero masculino: Faltará luz na Serrinha entre o meio-dia e as 22 h.
 

ATÉ AS OU ÀS

Os portões permanecerão abertos até as 23 horas.

Os portões permanecerão abertos até às 23 horas.


Embora tenhamos dito acima que a crase é proibida depois de uma preposição, é possível – embora desnecessário – usá-la junto com ATÉ na frente da hora. Ocorre que a preposição “até”, excepcionalmente e por motivo de clareza, pode ser seguida da preposição “a”. Sendo assim, escrever até as 23 h ou até às 23 h é indiferente, porque neste caso não há o perigo de confusão com a partícula inclusiva.


Explica-se: a partir do séc. XVII começou-se a usar as preposições até e a combinadas para dar maior clareza ao pensamento, uma vez que até tem igualmente o sentido de inclusão = mesmo, inclusive, ainda, também. Mudança de significado pode ocorrer em frases do tipo


(1) Queimou todo o cabelo até a raiz. [inclusive a raiz]
(2) Queimou todo o cabelo até à raiz. [até junto à raiz]
(3) Rabiscou tudo até a porta. [a porta também]
(4) Rabiscou tudo até à porta. [dá a noção de limite: parou na porta]


Naturalmente nas frases 1 e 3 a ambiguidade poderia ser evitada com uma vírgula: “Queimou todo o cabelo, até a raiz / Rabiscou tudo, até a porta”.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - linguabrasil@linguabrasil.com.br