<< voltar

Número: 083
Data: 26/06/2013
Título: ABREVIATURAS EM CORRESPONDÊNCIA E NÃO USO DE ILMO.

Antes de apresentar algumas dúvidas dos leitores, acho pertinente transcrever um parágrafo de Millôr Fernandes sobre “como convenções centenárias continuam dominando” grande parte das nossas cartas e ofícios. Foi em 1996 que Millôr escreveu:


“Muito de minha correspondência começa com Ilmo., ilustríssimo, por extenso. Ilustríssimo eu? Ilustríssimo você? Ilustríssimos por quê? Estão me gozando? Estão te gozando? Mesmo não sendo essa a intenção já não está demasiado gagá essa ilustrização de qualquer pessoa? Não bastaria um prezado, ainda que com um leve tom de falsidade, mas mais brando? Não sendo o cavalheiro em questão (eu) nem prezado, nem estimado, nem ilustre, nem ilustríssimo, nem ilustrado – por que não me tratar simplesmente por senhor?”


Devo esclarecer que antes disso – em 1991 – tal fórmula já tinha sido oficialmente abolida, quando a Presidência da República publicou seu “Manual de Redação”, onde se lê à página 24: “(...) fica dispensado o emprego do superlativo ilustríssimo para as autoridades que recebem o tratamento de Vossa Senhoria e para particulares. É suficiente o uso do pronome de tratamento Senhor”. Na mesma ocasião se aboliu o uso de digníssimo (DD.) sob o argumento de que “a dignidade é pressuposto para que se ocupe qualquer cargo público, sendo desnecessária sua repetida evocação”.


--- Gostaria de saber qual a abreviatura correta do termo “atenção”, no sentido de aos cuidados de... utilizado em cartas profissionais. Vanessa Mendes, São Paulo/SP


Há duas opções para abreviar “à atenção de”: AT. ou At.


--- Como escrever no envelope: em mãos ou em mão? R. M. V. M., Belo Horizonte/MG


Tanto faz. E/M é a abreviatura de em mão ou em mãos (pode-se entregar com uma só mão ou com as duas, não?). No Grande Manual de Ortografia Globo consta também: E.M.P. – em mão própria.


--- Existem alguns corretores ortográficos que utilizam abreviaturas como V.Ex.a e V.S.a com o ponto no meio das letras e não no final como estamos acostumados a ver, ou seja, V.Exa. e V.Sa.  Qual abreviatura é a correta? Marcelo Campos Pires, São Paulo/SP


A opção melhor e mais moderna é abreviar palavras sem ponto no meio e sem elevar nenhuma letra: V. Exa. , V. Sa. , Profa., Dra., Sra. etc. Mas também se admite V. Ex.ª e V. S.ª, como é ainda muito usado em Portugal, pelo que observei.


--- Qual é a forma correta dos pronomes de tratamento e respectivas abreviaturas? Por exemplo: a senhora/ a Senhora/ a sra./ a Sra. Maria. Nino Akio, São José dos Campos/SP


O usual quanto aos pronomes de tratamento como senhor, senhora, doutor, dona, dom, senhorita, professor, você etc. é empregar letras minúsculas quando por extenso e inicial maiúscula nas formas abreviadas:


A Sra. Maria – A senhora Maria está aqui.
A D. Marta –  A dona Marta já chegou.
O Sr. Prof. Dr. José – O senhor professor doutor José se aposentou.
V. me traiu. – Não sei se você me traiu.
Louvaram S. Exas. – Louvaram suas excelências.


Embora muitos textos jornalísticos adotem somente as minúsculas, nas repartições públicas a praxe é empregar as maiúsculas em ambas as situações: V. Exa. ou Vossa Excelência recebeu a nota...  Enviamos a V. Sa. ou Vossa Senhoria o boletim.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - linguabrasil@linguabrasil.com.br