<< voltar

Número: 166
Data: 28/01/2015
Título: VÍRGULA E GERÚNDIO

--- É correta a colocação da vírgula antes de gerúndio, como na frase: “Recebemos a correspondência de Vossa Senhoria, solicitando informações”? Regina Barros, São Paulo/SP 


Há casos e casos. A colocação da vírgula antes do gerúndio é correta quando ele introduz uma oração reduzida equivalente a uma coordenada aditiva. Ou seja: em vez de usar e + o verbo conjugado no tempo apropriado à frase, você usa a vírgula + gerúndio (que não tem forma específica para presente, passado ou futuro; o tempo é dado pela oração principal). O sujeito do gerúndio é o mesmo da oração anterior.  Vejamos, então, as mesmas frases nos dois estilos. São equivalentes:


COM VÍRGULA E GERÚNDIO


1) O plano veio para estabilizar a economia, acabando com a inflação.

2) Silvio Santos dá uma nova tacada com a reedição do programa, garantindo audiência com o elenco de bonitões e bonitonas.

3) Produto largamente utilizado nas décadas de 70 e 80, durante os anos 90 o VM perdeu sua exclusiva característica, dando lugar às novas tecnologias que hoje se encontram à nossa disposição.

4) Tibaldeschi residiu em SC de 1924 a 1940, dedicando-se ao ensino da língua e à inspeção escolar.

5) Recomendou que continuassem com essa educação, mantendo-se laboriosos, honestos e dignos.

6) Em 2000 ela mudou-se para Blumenau e casou-se imediatamente, abandonando mais uma vez o emprego.


COM E SEM A VÍRGULA


(A oração aditiva introduzida pela conjunção e não significa melhor redação, e até mesmo deve ser evitada quando no período já existe outro e próximo, como nas frases 4, 5 e 6.)


1) O plano veio para estabilizar a economia e acabar com a inflação.

2) Silvio Santos dá uma nova tacada com a reedição do programa e garante (assim/com isso) audiência com o elenco de bonitões e bonitonas.

3) Produto largamente utilizado nas décadas de 70 e 80, durante os anos 90 o VM perdeu sua exclusiva característica e deu lugar às novas tecnologias que hoje se encontram à nossa disposição.

4) Tibaldeschi residiu em SC de 1924 a 1940 e dedicou-se ao ensino da língua e à inspeção escolar.

5) Recomendou que continuassem com essa educação e se mantivessem laboriosos, honestos e dignos.

6) Em 2000 ela mudou-se para Blumenau e casou-se imediatamente e abandonou mais uma vez o emprego.


Diante disso, já se pode concluir que na frase proposta pela leitora não cabe a vírgula, pois não se trata de Recebemos a correspondência de Vossa Senhoria e solicitamos informações, mas sim de algo como Recebemos a correspondência de Vossa Senhoria na qual [V. Sa.] solicita informações. Há aí uma finalidade implícita: “para pedir informações”.  Este é um dos casos em que não se coloca vírgula antes do gerúndio, isto é, quando ele configura e introduz uma oração adverbial final, como nos seguintes exemplos:


Foi emitida nota oficial informando que o prazo de entrega do IR foi prorrogado.

Sempre escreve ao pai pedindo mais dinheiro.

A Associação de Proteção Animal enviou correspondência ao governador cumprimentando-o pela proibição da farra do boi.

O chefe telefonou ao secretário dizendo ser inadmissível tanto erro de português.

Decreto imperial concedeu permissão ao visconde de Barbacena para organizar uma companhia visando a exploração do carvão mineral no rio Tubarão.


O assunto continua nas colunas Não Tropece na Língua 168 e 171.


download PDF

<< voltar

Instituto Euclides da Cunha
Luiz Fernando de Queiroz, diretor
Rua Marechal Deodoro, 235 cj. 1204 - CEP 80020-907 - Curitiba - PR
Fone (41) 3223.6543 - linguabrasil@linguabrasil.com.br